O poder transformador da Páscoa

A Páscoa é uma das datas mais importantes do calendário cristão. Porém, mais do que uma data marcante para a Igreja, ela é um momento que se reflete individualmente em nossas vidas.

Na Páscoa, Jesus morreu em nosso lugar.

Na Páscoa, Ele pagou o preço pelos nossos pecados.

Na Páscoa, Ele nos resgatou.

Na Páscoa, a nossa liberdade definitiva chegou.

Hoje, queremos compartilhar um pouco sobre o poder transformador da ressurreição de Jesus em nossas vidas.

A natureza humana, o problema do pecado e a salvação em Jesus

O ser humano é um ser espiritual. Somos um espírito, temos uma alma e habitamos em um corpo. Deus nos criou se inspirando nEle mesmo, para desfrutarmos da natureza dEle e sermos como Ele é.

“Então disse Deus: ‘Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais grandes de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão’. Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gênesis 1:26-27)

O problema começou quando o pecado entrou no mundo. A desobediência de Adão e Eva não trouxe apenas a morte física, mas matou a natureza divina do homem. Como resultado, a natureza de Deus foi substituída pela do inferno. De forma prática, o que isso significou?

A entrada do pecado no mundo afastou o ser humano de Deus e de todas as bênçãos de caminhar com Ele. Agora, a melhor criação de Deus já não podia mais ser amigo do seu criador. Esse foi uma das principais consequências do pecado na vida do homem.

Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós.” (Isaías 59:1-2)

Quando Jesus veio ao mundo, embora tenha nascido como homem, não foi contaminado pela natureza do pecado. Ele era Deus e cumpria os requisitos para pagar o preço pela nossa liberdade. Jesus nos substituiu na cruz do Calvário. Ele nos resgatou das mãos das trevas e nos transportou para o reino de Deus.

A sua liberdade custou um preço muito alto, um preço de sangue. Ele foi pago pelo próprio Deus por te amar incondicionalmente e desejar estar perto de você todos os dias.

Jesus se entregou por amor, por pura graça. Você quer desfrutar dela? Apenas creia e aceite o trabalho completo e perfeito de Jesus Cristo na cruz. Foi por você!

O poder da ressureição

O povo de Israel celebrava a Páscoa todos os anos em obediência à ordem de Deus após a libertação dos israelitas da escravidão no Egito.

Quando o Senhor passar pela terra para matar os egípcios, verá o sangue na viga superior e nas laterais da porta e passará sobre aquela porta; e não permitirá que o destruidor entre na casa de vocês para matá-los. Obedeçam a estas instruções como decreto perpétuo para vocês e para os seus descendentes. Quando entrarem na terra que o Senhor prometeu lhes dar, celebrem essa cerimônia. Quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘O que significa esta cerimônia?’, respondam-lhes: ‘É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou sobre as casas dos israelitas no Egito e poupou nossas casas quando matou os egípcios’. Então o povo curvou-se em adoração.” (Êxodo 12:23-27)

A Bíblia narra como foram os três dias entre a morte e a ressurreição de Cristo. Você pode ler essa história nos evangelhos. Agora, vamos focar na sexta (morte de Jesus) e no domingo (ressurreição de Cristo).

Na sexta-feira, tudo parecia perdido

A jornada de sofrimento de Jesus foi marcada por diferentes momentos como a última ceia, a lavagem dos pés dos discípulos, a promessa de um consolador e a despedida de Jesus. Ele sabia que aqueles seriam seus últimos momentos antes do seu sacrifício.

Jesus se sentiu angustiado e foi castigado em nosso lugar. Ele era inocente e sabia disso, mas escolheu se entregar por amor a nós.

Ao olhar para a morte de Jesus, precisamos lembrar de duas coisas:

  1. Jesus não foi assassinado, Ele se entregou por nós;
  2. A morte de Jesus era parte do plano perfeito do amor de Deus para a humanidade.

A morte e o sofrimento não pegaram Jesus de surpresa. Ele sabia que eles foram planejados por Deus e que eram necessários para a vitória definitiva sobre as trevas. A vitória de Jesus nos devolveu o direito à vida de Deus.

O domingo chegou e a ressurreição aconteceu

Na sexta-feira, após a morte de Jesus, tudo parecia perdido. Será que Ele não era o verdadeiro filho de Deus?

A Bíblia conta que, no domingo, algumas mulheres foram ao túmulo e não encontraram o corpo de Jesus. Enquanto elas choravam, um anjo apareceu e disse:

O anjo disse às mulheres: ‘Não tenham medo! Sei que vocês estão procurando Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Venham ver o lugar onde ele jazia.’”(Mateus 28:5-6)

Esse foi o ponto de partida para a maior notícia de todos os tempos se espalhar. Jesus tinha ressuscitado. Ele estava vivo! A morte perdeu de uma vez por todas. Jesus, o Cordeiro, foi imolado e o sacrifício perfeito estava completo. Por causa desse dia inesquecível, podemos ser livres.

Viver a verdadeira Páscoa é receber Jesus em sua vida

A Páscoa é um momento de alegria. Ela celebra a conquista que mudou a nossa história para sempre.

O grande plano de Deus foi ousado.

Quando Jesus estava sofrendo, muitos o olhavam como alguém que estava sendo morto pelo governo da época porque merecia, porque era alguém polêmico ou por estar envolvido com uma causa. Aos olhos de Deus, contudo, a dor do Seu filho estava escrevendo a maior prova de amor de todos os tempos.

Jesus sabia os motivos que o colocaram naquela cruz. Ele tinha consciência de Sua inocência, mas isso não o impediu de ir até o fim. Jesus sabia que o Seu maior prêmio era o resgate do ser humano. Ele morreu a nossa morte para nos permitir viver a vida dEle.

Quando aceitamos Jesus como Senhor e salvador de nossas vidas, um novo tempo se inicia. A natureza pecadora herdada de Adão é substituída pela natureza divina de Deus.

Jesus precisou morrer física e espiritualmente. Ele se afastou do Pai e carregou cada uma das dores, doenças e maldições endereçadas a nós. O motivo para ele aceitar passar por todo esse sofrimento foi Seu amor por nós.

Páscoa não é momento de tristeza. Nessa data, a alegria da salvação eterna reina e celebramos a liberdade eterna.

Aproveite o dia de hoje e creia no amor de Jesus por você. Esse é o primeiro passo para você compreender a profundidade do ato de amor de Jesus e comemorar a vitória sobre o império das trevas.

Deus conta com você para espalhar as boas novas da salvação e da liberdade em Cristo.

Gostou do conteúdo? Compartilhe e abençoe a vida de alguém!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *